A Falta de um Perdão

quarta-feira, 17 de novembro de 2010
Eu te perdôo...nossa que difícil é falar essa frase!!!
Todos já passamos por um momento onde somos magoados, ridicularizados, humilhados, etc. E como “manda o figurino“ devemos sempre perdoar e ai começa uma angústia sem fim, perdoar é abrir mão do ódio, do rancor, é realmente esquecer e prosseguir, mas para isso é preciso um grande esforço.
O “não perdoar” – segundo a psicanalista Anna Freud – consiste num mecanismo de defesa que faz com que a vítima procure o controle, “assumindo a conduta violenta ou ameaçadora do agressor e transformando-se ele mesmo de ameaçado em ameaçador”. É uma forma de ganhar autodomínio e dignidade.
Podemos perceber que quando recusamos perdoar “trocamos de papel”, por exemplo, sabe quando somos magoados por algum familiar? O nosso “dever” é perdoar e esquecer, mas ai todo aquele sentimento se transforma e não perdoamos, pois é uma questão de dignidade para nós mesmos, com isso ficamos ameaçados, por nós mesmos!!! Difícil de entender? Assim somos nós seres humanos, complicados, complexos, rancorosos.
O psiquiatra Aaron Beek afirma que os pensamentos são responsáveis pelos sentimentos. Quando as pessoas cultivam pensamentos de raiva e ódio, iguais serão seus sentimentos e também suas ações. Este cúmulo de pensamentos, normalmente, segue determinados modelos: homogeneização do outro (todos são maus), desumanização (estas não são pessoas, mas simplesmente objetos).
Seria tão fácil perdoar tudo, esquecer, sobreviver. Poderíamos sempre lembrar daquela passagem bíblica que diz que devemos perdoar setenta vezes sete, ou até mesmo quando costumamos dizer que Deus lança nossos pecados no mar do esquecimento, e deles não se lembra mais. Isso é o verdadeiro perdão.
Agora fica para você pensar, será que vale a pena ficar adiando um perdão, uma reconciliação, independente de quem for? Cada um tem sua vida e suas escolhas, mas as vezes dizemos que nada dá certo, que não somos felizes, talvez seja porque não enxergamos as pequenas coisas que estão perto de nos, e o que realmente nos faz feliz.

4 comentários:

Érica Lopes Says:
18 de novembro de 2010 02:59

Concordo com você Jú!

A vida passa tão rápido para ficarmos presos a certos sentimentos...

Juliana Says:
18 de novembro de 2010 17:10

Puxa....esse texto foi profundo!!!
Gostei msm, pois deixamos de viver mtas coisas por raiva de alguem ou as vezes até de nos msm né...
Quem derá se todos nós tivemos a consciencia de que simplismente viver da melhor forma sem magoar alguem é a melhor coisa que fazemos ou se msm tentando não magoar aqueles que fazem parte do nosso convivio magoamos, pq não perdir perdão?! Devemos aproveitar o tempo que temos aqui e cultivar coisas boas!!
Parabéns Ju, arrasou!!

Juliana Pessoa Says:
18 de novembro de 2010 18:05

Keka e Jú...

Vcs entenderam exatamente o que eu quiz dizer!!!! ficar magoado em algum momento é inevitavel, porém o que fazer com a magoa é decisão de cada um....

Obrigada... e aguardo sugestoes de vcs..
bjinhusss

Lilian Says:
24 de novembro de 2010 04:51

Oi Júuu....
parabéns pelo blog tá lindo e muito bem escrito tbm!!!

mto sucesso pra ti!!!

e adorei esse texto ...!!

Postar um comentário